Smart cities: o que a carga tem a ver com uma cidade inteligente?

28/02/2019 - SCAMBO

Por Patrícia Laranjeiro

Segundo o Conselho de Cidades inteligentes, smart cities usam tecnologia de informação e comunicação (TIC) para se aprimorar em 3 aspectos: qualidade de vida – associada ao bem-estar geral, capacidade de trabalho – associada à competitividade econômica – e sustentabilidade – associada à saúde ecológica, social e econômica.

Mas porque o foco nas cidades? Mais da metade (54%) da população mundial vive nas cidades e este percentual deve chegar aos 66% em 2050. E quando falamos da América Latina, esses valores sobem para 80% (2014) e 86% (2050) (ONU, 2014). Junto com essa concentração de pessoas nas cidades, surgem necessidades da sociedade e desafios que, com o avanço da tecnologia (sensores, IoT, redes de comunicação, big data analytics, etc), podem ser superados ou mitigados de maneira mais “smart”, precisando de pouco ou quase nenhum esforço humano na execução destas tarefas.

Certo, mas como isso pode ser feito? Basicamente começa pela coleta de dados sobre a própria cidade por meio de sensores e outros dispositivos e sistemas. Em seguida, tais dados são transmitidos usando redes e, então, são realizadas análises (o tal do analytics) para extrair informações que permitam entender o passado, o presente e até mesmo prever o futuro, sempre com o objetivo de otimizar o funcionamento da cidade.

Dadas as características destas atividades, muitas startups têm investido nesta área. Abaixo, um levantamento feito pela CB Insights (2017) mostra mais de 80 startups que têm contribuído para tornar as cidades mais inteligentes, por categoria de atuação (estacionamento, resíduos, desastres, transportes, energia, etc).

Soluções para cidades inteligentes

Fonte: CB Insights, 2017.

Neste contexto, podemos citar como algumas atividades onde o conceito “smart” pode ser aplicado: iluminação pública, monitoramento de vazamentos nas instalações hidráulicas, segurança, saúde, controle e gerenciamento de tráfego, monitoramento da qualidade do ar e transporte, entre tantas outras. Abaixo, o infográfico da Rancoteur (2016) exemplifica algumas destas soluções para cidades inteligentes por setor.

soluções smart para cidades inteligentes

Fonte: Rancoteur, 2016.

É interessante notar que muitas destas aplicações vão além da coleta, comunicação e análise dos dados, sendo que o seu “sucesso” depende do seu uso. Em que sentido? No caso de um aplicativo de rotas que considera o trânsito como o Waze, por exemplo, para que a otimização da circulação de veículos aconteça, que seria a sua contribuição mais efetiva, os usuários precisam utilizar o aplicativo e seguirem a rota sugerida pelo mesmo.

Então, podemos resumir as camadas envolvidas nas iniciativas para tornar uma cidade mais inteligente, como sendo: tecnologia, capacidade de análise e aplicações, e o uso ou adoção – conforme mostrado na figura abaixo (McKinsey Global Institute Analysis, 2018).

cidades inteligentes x cidades tradicionais

Fonte: McKinsey Global Institute Analysis, 2018.

Especificamente em relação ao transporte inteligente, podemos dizer que este tem o objetivo de prover serviços inovadores associados a diferentes modos de transporte e gerenciamento de tráfego, com o objetivo de deixar os usuários mais seguros e bem informados, além de otimizar o uso da rede de transportes. (Smart Cities Council, 2019). Entre as aplicações associadas a mobilidade e transporte, é comum que surjam muito mais iniciativas com foco no transporte de passageiros como, por exemplo, este app que será lançado em Berlim-Alemanha que ofertará todos os modos de transporte individuais (público e privado) num lugar só.

Entretanto, há sim muitos exemplos para o transporte de cargas. Há diversas ações inclusive que impactam simultaneamente o transporte de cargas e de passageiros. Abaixo apresentamos uma lista (não-exaustiva) de aplicações do conceito de cidades inteligentes em mobilidade e transportes, identificando aquelas que apresentam impacto direto no transporte de passageiros e de carga, respectivamente.

Soluções e aplicações para passageiros e cargas em cidades inteligentes

Fonte: SCAMBO, 2019.

Só na área de roteirização, gestão de frotas, fretes e entregas, podemos citar vários exemplos de startups que oferecem soluções smart para o transporte de cargas:

 

Seja no transporte de cargas ou em qualquer outra área, criar cidades inteligentes não é um objetivo em si, mas um meio de atender de maneira mais eficiente e dinâmica às necessidades e aos desejos dos seus residentes, ou seja, colocando as pessoas no centro do desenvolvimento, tornando as cidades mais integradas, sustentáveis e atrativas.

Fale com a gente!

Av. Bernardino de Campos, 185 – Paraíso
São Paulo – SP, 04004-050

Que tal deixar seu nome e e-mail para receber noticias e novidades?

Pin It on Pinterest